Asana

Há mais de 8 milhões e 400 mil ásana mencionadas por Shiva.

De fato, um número espantoso a princípio, porém, somente 84 são os melhores e entre estes, apenas 32 são considerados úteis para os que habitam este planeta.

Leia também: https://yogaouioga.com.br/hatha/o-que-e-prana/

Gheranda Samhita

Os 32 asanas são:

  • Siddhásana (postura perfeita)
  • Padmásana (postura de lótus)
  • Bhadrásana (postura de bem-estar)
  • Muktásana (postura de liberação)
  • Vajrásana (postura do raio)
  • Svastikásana (postura afortunada)
  • Simhásana (postura do leão
  • Gomukhásana (postura da cabeça de vaca)
  • Virásana (postura heróica)
  • Dhanurásana (postura do arco)
  • Mritásana (postura do cadáver)
  • Guptásana (postura oculta)
  • Matsyásana (postura do peixe)
  • Matsyendrásana (postura de Matsyendra)
  • Paschimottanásana (postura da pinça)
  • Gorakshásana (postura de Goraksha)
  • Utkatásana (postura elevada)
  • Sankatásana (postura perigosa)
  • Mayurásana (postura do pavão)
  • Kukkutásana (postura do galo)
  • Kurmásana (postura da tartaruga)
  • Uttanakurmásana (postura da tartaruga em extensão)
  • Mandukásana (postura da rã)
  • Uttanamandukásana (postura da rã em extensão)
  • Vrikshásana (postura da árvore)
  • Garudásana (postura da águia)
  • Vrishásana (postura do touro)
  • Salabhásana (postura do gafanhoto)
  • Makarásana (postura do crocodilo)
  • Ushtrásana (postura do camelo)
  • Bhujangásana (postura da cobra)
  • Yogásana (postura de yoga)

Siddhásana

O praticante que tenha dominado as suas paixões deve: colocar o calcanhar (esquerdo) em contato com o ânus e o outro sobre os genitais.

Manter o queixo junto do peito. Permanecer imóvel e com as costas eretas. Dirigir o olhar para o intercílio (espaço entre as sobrancelhas). Esta postura conduz à libertação.

Padmásana

Colocar o pé direito sobre a coxa esquerda. E, de forma análoga, o pé esquerdo sobre a coxa direita. Cruzar os braços atrás das costas. Segurar com as mãos os dedos grandes dos pés.

Colocar o queixo junto do peito. Fixar o olhar na ponta do nariz. Esta postura cura todas as enfermidades.

Bhadrásana

Colocar os calcanhares cruzados debaixo dos órgãos sexuais. Cruzar os braços atrás das costas. Segurar com as mãos os dedos grandes dos pés.

Adotar jalandhara bandha (fecho da garganta). Fixar o olhar na ponta do nariz. Esta postura cura todas as enfermidades.

Muktásana

Colocar o calcanhar esquerdo na base dos genitais. Colocar o direito em cima dos genitais. Manter costas, pescoço e cabeça alinhados. Esta postura proporciona siddhi.

Vajrásana

Juntar as coxas, apertadas como um diamante. Colocar as pernas debaixo do ânus (sentar-se em cima dos pés, com os calcanhares separados). Esta postura proporciona siddhi.

Svastikásana

Colocar cada pé entre os gémeos e a coxa (da perna contrária). Manter o corpo erguido nesta cómoda posição.

Simhásana

Colocar os calcanhares cruzados e voltados para cima por debaixo dos órgãos sexuais. Colocar os joelhos no solo e as mãos apoiadas nos joelhos. Abrir a boca e efetuar jalandhara bandha.

Fixar o olhar na ponta do nariz. Esta postura destrói todas as enfermidades.

Gomukhásana

Colocar os pés no solo com os calcanhares cruzados por debaixo das nádegas. O corpo deve manter-se firme, com a cara levantada e a boca saliente.

Permanecer sentado tranquilamente. Esta postura faz lembrar o focinho de uma vaca.

Virásana

Colocar um pé sobre a coxa oposta. Girar o outro pé para trás.

Dhanurásana

Estender as pernas no solo, retas como uma vara. Segurar os dois pés com as mãos, de tal forma que se dobre o corpo como um arco.

Mritásana

Permanecer deitado de costas no solo, completamente estendido, denomina-se postura do cadáver. Esta postura elimina a fadiga física e acalma a agitação mental.

Guptásana

Ocultar os pés por debaixo das coxas e dos joelhos. Colocar as nádegas sobre os pés.

Matsyásana

Adoptar a postura de lótus (sem cruzar os braços por detrás das costas). Permanecer deitado sobre as costas. Segurar a cabeça entre os cotovelos.

Matsyendrásana

Manter relaxada a região abdominal e as costas. Dobrar a perna esquerda e colocá-la sobre a coxa direita; depois colocar nesta o cotovelo direito e a cara na palma da mão direita.

Fixar o olhar no intercílio. Esta postura denomina-se matsyendra.

Paschimottanásana

Estender as pernas no solo, retas como uma vara, sem que os calcanhares se toquem. Colocar a testa sobre os joelhos. Segurar os dedos dos pés com as mãos.

Gorakshásana

Colocar os pés voltados para cima, entre os joelhos e as coxas. Colocar as mãos abertas ocultando cuidadosamente os calcanhares.

Contrair a garganta e fixar o olhar na ponta do nariz. Esta postura proporciona o triunfo aos yoguis.

Utkatásana

Permanecer nas pontas dos dedos dos pés, com os calcanhares levantados do solo. Colocar as nádegas sobre os calcanhares.

Sankatásana

Apoiar pé e perna esquerdos no solo. Rodar a perna esquerda com a direita. Colocar as mãos sobre os joelhos.

Mayurásana

Colocar as palmas das mãos no solo. Apoiar o abdómen sobre os cotovelos. Levantar-se sobre as mãos com as pernas no ar, cruzadas em lótus. Esta postura estimula a digestão e elimina as enfermidades abdominais.

Kukkutásana

Sentar-se no solo com as pernas cruzadas em lótus. Apoiar as mãos no solo introduzindo os braços entre as coxas e os gémeos. Levantar-se em equilíbrio sobre as mãos, suportando o peso do corpo com os cotovelos.

Kurmásana

Cruzar os calcanhares debaixo dos órgãos sexuais. Manter alinhadas as costas, cabeça e pescoço.

Uttanakurmásana

Adoptar kukkutásana (postura do galo). Segurar o pescoço com as mãos. Erguer-se, alongar-se como uma tartaruga.

Mandkukásana

Colocar os pés para trás com os dedos dos pés tocando-se. Joelhos para a frente (bem afastados).

Uttanamandukásana

Colocar-se em mandukásana (postura da rã). Sustentar a cabeça com os cotovelos. Alongar o corpo como uma rã.

Vrikshásana

Manter-se de pé sobre a perna esquerda. Colocar o pé direito sobre a coxa esquerda. Permanecer ereto como uma árvore plantada no solo.

Garudásana

Pressionar as coxas contra o solo. Manter o corpo firme com as mãos sobre os joelhos.

Vrishásana

Colocar o ânus sobre o calcanhar direito. Cruzar a perna esquerda sobre a direita. Colocar o pé esquerdo ao lado da perna direita.

Salabhásana

Colocar a boca [queixo] junto ao solo. Colocar as palmas das mãos no solo, à altura do peito. Levantar as pernas à altura de um cotovelo.

Makarásana

Colocar a boca [queixo] e o peito em contacto com o solo. Estender e separar (amplamente) as pernas. Segurar a cabeça com os braços. Esta postura aumenta o calor corporal.

Ushtrásana

Colocar a boca [queixo] junto ao solo. Dobrar as pernas para trás. Agarrar os pés com as mãos. Contrair fortemente os músculos abdominais e a boca.

Bhujangásana

Colocar a metade do corpo, desde o umbigo até aos pés, no solo. Apoiar as palmas das mãos no solo. Levantar a cabeça e a parte superior do corpo, como uma serpente.

Esta postura aumenta o calor corporal e elimina todas as enfermidades. Com a sua prática desperta-se a kundalini.

Yogásana

Girar os pés para cima e coloca-los (cruzados) sobre os joelhos. Colocar as mãos no solo, com as palmas voltadas para cima. Fixar o olhar na ponta do nariz.

Este conteúdo apareceu primeiro no livro Gheranda Samhita – traduzido por Gustavo André Cunha, a partir de uma versão em espanhol. Você pode baixar a versão completa aqui: https://www.shri-yoga-devi.org/download-yoga

O conteúdo Asana aparece primeiro em Yoga ou Ioga.

Publicado por yogaouioga

O site Yoga ou Ioga tem objetivo de compartilhar a filosofia e história dessa arte milenar. O Yoga surgiu na Índia há mais de 5 mil anos, porém ninguém sabe com precisão a data correto e muito menos o nome de quem o idealizou primeiro. Existem vários tipos de Yoga e as práticas executadas atualmente se diferem muito das práticas ancestrais. Hatha Yoga: conhecido como Yoga clássica, sendo o estilo mais popular e pratica pelos iniciantes no Ocidente porque o estilo é direcionado ao condicionamento físico. Ashtanga Yoga: considerado filho do Hatha, suas práticas misturam seis séries de posturas estáticas que vão evoluindo pelo praticante no decorrer do tempo e conforme a capacidade do corpo de realizar as posturas necessárias para a prática. Vinyasa Yoga: outra derivação do Hatha, é um estilo mais contemporâneo. Um estilo muito gracioso pelo fato de sua prática ser baseada na realização de posturas em flow, isto é, fazendo movimentos que se encaixam, parecendo uma dança ensaiada. Kundalini Yoga: direcionado ao trabalho espiritual e promover conexão entre corpo, mente e espírito por meio da execução de atividades físicas. A respiração é fator crucial na prática de Kundhalini Yoga por crer que, juntando posturas e exercícios de respiração, podemos equilibrar os chakras. Raja Yoga: também direcionado para o lado espiritual de quem está executando. Conhecido também como Yoga Real, pelo fato de ser voltado para o Interior, crescimento pessoal do indivíduo e não para o esforço físico. Iyengar Yoga: concentra a permanência enquanto executa as posições e no alinhamento de todos os movimentos. Isso torna as aulas mais lenta e individual, mantendo a concentração em si mesmo durante a prática. Ao contrário do que muitos pensam o Yoga não está relacionado somente a atividade física, contorcionismo. Trata-se de um estilo de vida que busca a união tudo ao seu redor: universo, natureza, os outros, o Divino e etc. Os praticantes visam alcançar a união. Visite o site oficial: https://yogaouioga.com.br/hatha/curso-de-yoga-online

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: