Raja Yoga – O estado completo de unidade com a mente

O Raja Yoga é percebido como o “caminho autêntico” para alcançar o estado completo de unidade com a mente, corpo e espírito por meio da meditação.

O Raja Yoga é tão altamente contemplado pelo fato de atingir a iluminação do controle direto e do domínio da mente.

Essa abordagem faz do Raja Yoga uma prática seriamente desafiadora e de complexa execução.

Hatha Yoga, o que geralmente conhecemos como “yoga” no Ocidente é um caminho extremamente mais fácil. O Hatha Yoga tem como objetivo controlar o corpo e a respiração para imobilizar o prana (energia) que, por sua vez, acalma nossa mente.

Mesmo que o Hatha Yoga tenha sido desenvolvido como uma preparação para o Raja Yoga, eles são perfeitamente possíveis de serem praticados simultaneamente.

O Raja Yoga é muitas vezes declarado como “yoga clássico”, uma vez que foi o sistema mais remoto de yoga, desenvolvendo sistematicamente em uma prática unificada. A prática do Raja Yoga foi elaborada pelo sábio Patanjali em seus tão conhecidos Yoga Sutras.

Nos Sutras de Yoga podemos perceber a divisão da prática da meditação iogue em oito membros ou sub-práticas. Os primeiros quatro membros estão relacionados aos membros externos e precisam ser praticados simultaneamente.

Algumas dessas extremidades possuem os mesmos nomes que as práticas de Hatha Yoga, entretanto não são as mesmas e jamais devem ser confundidas. Os últimos quatro membros são referidos como membros internos e são praticados sequencialmente.

A Base do Raja Yoga

A base do Raja Yoga é formada pelos membros externos de Yama, Niyama, Asana e pranayama de Patanjali.

Yama e Niyama são os princípios de atitude e estilo de vida correto, o que deve e não deve ser feito no yoga. Yama, o respeito pelo próximo, inclui não-violência, verdade, honestidade, moderação e não-ganância.

Niyama, auto-ação positiva, envolve pureza, satisfação, disciplina, auto-estudo e devoção. A asana no Raja Yoga difere do Asana que praticamos na aula de ioga. Patanjali simplesmente instrui você a encontrar uma posição sentada confortável e estável.

Muitos também interpretam equivocadamente a instrução de Patanjali no pranayama, onde ele diz para somente observar e desacelerar a respiração até o ponto em que você não seja capaz de distinguir entre inspiração e expiração.

As diversas posturas de yoga e exercícios de respiração foram desenvolvidas posteriormente como parte do sistema Hatha Yoga de dominar o corpo para acalmar a mente.

Praticando os Membros Internos

Uma vez que você esteja numa posição sentada e confortável, ao mesmo tempo em que uma respiração profunda e lenta é obtida, então inicia-se a prática dos membros internos:

  • Pratyahara
  • Dharana
  • Dhyana
  • Samadhi
raja yoga meditação

Pratyahara é mudar o foco da mente dos sentidos externos rumo as sensações internas do corpo.

Quando a mente é direcionada para o Eu Interior, tão logo o próximo membro, Dharana, é utilizado para concentrar a mente em um único objeto, normalmente a respiração.

É aqui que a prática se torna um desafio, mantendo a mente focada e liberando as garras dos pensamentos. Quando você alcança a habilidade de concentrar a mente em um único objeto a ponto de ser completamente absorvido nele, então você passa para o próximo nível, Dhyana, meditação.

Quando a mente é absorvida em Dhyana os pensamentos cessam e a mente se acalma. A prática sustentada de Dhyana leva ao último membro, o Samadhi.

Iluminação, êxtase e felicidade são todas palavras propícias para descrever este último membro onde você pode visualizar a consciência pura refletida na superfície quieta da mente.

Aqui, o objeto, o sujeito e a percepção se fundem em um sentimento de unidade.

Se inscreva no curso de yoga online https://yogaouioga.com.br/hatha/curso-de-yoga-online/

O conteúdo Raja Yoga – O estado completo de unidade com a mente aparece primeiro em Yoga ou Ioga.

Publicado por yogaouioga

O site Yoga ou Ioga tem objetivo de compartilhar a filosofia e história dessa arte milenar. O Yoga surgiu na Índia há mais de 5 mil anos, porém ninguém sabe com precisão a data correto e muito menos o nome de quem o idealizou primeiro. Existem vários tipos de Yoga e as práticas executadas atualmente se diferem muito das práticas ancestrais. Hatha Yoga: conhecido como Yoga clássica, sendo o estilo mais popular e pratica pelos iniciantes no Ocidente porque o estilo é direcionado ao condicionamento físico. Ashtanga Yoga: considerado filho do Hatha, suas práticas misturam seis séries de posturas estáticas que vão evoluindo pelo praticante no decorrer do tempo e conforme a capacidade do corpo de realizar as posturas necessárias para a prática. Vinyasa Yoga: outra derivação do Hatha, é um estilo mais contemporâneo. Um estilo muito gracioso pelo fato de sua prática ser baseada na realização de posturas em flow, isto é, fazendo movimentos que se encaixam, parecendo uma dança ensaiada. Kundalini Yoga: direcionado ao trabalho espiritual e promover conexão entre corpo, mente e espírito por meio da execução de atividades físicas. A respiração é fator crucial na prática de Kundhalini Yoga por crer que, juntando posturas e exercícios de respiração, podemos equilibrar os chakras. Raja Yoga: também direcionado para o lado espiritual de quem está executando. Conhecido também como Yoga Real, pelo fato de ser voltado para o Interior, crescimento pessoal do indivíduo e não para o esforço físico. Iyengar Yoga: concentra a permanência enquanto executa as posições e no alinhamento de todos os movimentos. Isso torna as aulas mais lenta e individual, mantendo a concentração em si mesmo durante a prática. Ao contrário do que muitos pensam o Yoga não está relacionado somente a atividade física, contorcionismo. Trata-se de um estilo de vida que busca a união tudo ao seu redor: universo, natureza, os outros, o Divino e etc. Os praticantes visam alcançar a união. Visite o site oficial: https://yogaouioga.com.br/hatha/curso-de-yoga-online

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: